Novas taxas de financiamento: como financiar um imóvel agora?

Seja através de MCMV ou SBPE — entre outras alternativas —, o financiamento imobiliário é a opção mais procurada por quem busca adquirir seu apartamento próprio. E foi buscando fazer com que o financiamento fosse capaz de oferecer ainda mais possibilidades que a Caixa Econômica Federal anunciou, em meados do ano passado, as suas novas taxas de financiamento.

Essas novas taxas de financiamento oferecidas pelo banco possuem algumas diferenças muito significativas se comparadas com o sistema utilizado desde 1991, e é importante que o consumidor tenha conhecimento delas antes de financiar o seu imóvel.

Para que você conheça e entenda tudo a respeito dessa nova opção, a Barbarotti preparou um texto explicando todos os detalhes das novas taxas de financiamento anunciadas pela Caixa, incluindo os valores e as condições oferecidas. Se você está estudando as melhores possibilidades para comprar um imóvel, conheça mais uma lendo o texto abaixo!


As novas taxas de financiamento anunciadas pela Caixa Econômica

Antes de conhecer as novas taxas de financiamento e entender as diferenças, é necessário saber como elas funcionavam antes. Os contratos vigentes desde antes de agosto de 2019 possuem juros que variam entre 8,5 e 9,75% ao ano e mais correção baseada na TR (Taxa Referencial).

Vale citar que no caso específico de financiamentos feitos através do programa Minha Casa Minha Vida os juros são menores.

Já a nova linha de crédito anunciada pela Caixa no ano passado apresenta juros menores, entre 2,95% e 4,95% ao ano, somada à inflação, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Em outras palavras, isso quer dizer que os juros diminuíram e o “mais” mudou da TR para o IPCA.

Quando analisamos rapidamente essas novas taxas, é possível observar tanto vantagens quanto desvantagens. Sim, os juros estão menores. Contudo, a inflação é um número que varia constantemente, podendo ter um aumento considerável que faria com que as parcelas fiquem muito mais elevadas.

Veja algumas particularidades da nova alternativa:

  • O novo plano só valerá para novos contratos (feitos após o mês de agosto de 2019);
  • Poderá ser utilizado para financiar até 80% do valor do imóvel;
  • Prazo de parcelamento de até 360 meses;
  • A taxa mínima, de 2,95%, será apenas para servidores públicos;
  • Trabalhadores do setor privado terão taxas a partir de 3,25%;
  • Em ambos os casos, o teto será de 4,95%, mediante análise prévia.

Novas taxas de financiamento não são obrigatórias

Uma boa notícia é que quem não quer arriscar pagar taxas maiores — graças à variação da inflação — não precisa. As novas taxas da Caixa não serão obrigatórias, mas sim mais uma alternativa para o cliente, permitindo que ele opte pelas condições que julgar melhores e mais interessantes para o seu caso específico.

E, por fim, vale relembrar: essa escolha só está disponível para quem fechou contrato com a Caixa após o mês de agosto de 2019. Contratos antigos seguem como sempre foram, com as taxas de juros entre 8,5 e 9,75% ao ano mais TR.

Uma opção a mais com certeza melhorou as oportunidades de adquirir um imóvel próprio, não acha? E que tal começar a pensar no imóvel em si agora? A Barbarotti conta com mais de 100 imóveis à venda; pelo menos um pode ser o ideal para você! Confira todos eles por este link.