Consórcio ou financiamento? Entenda as diferenças

A decisão entre consórcio e financiamento imobiliário é uma das mais importantes para muitos brasileiros que sonham com a aquisição da casa própria, pois é o primeiro passo dado em direção à casa dos sonhos.

Mas é preciso ter cuidado. Muitas pessoas ainda não fazem uma análise comparativa entre as duas modalidades de aquisição de imóveis, o que possibilitaria a elaboração de um melhor planejamento, seja ele feito através de um consórcio ou financiamento.

Com a intenção de ajudar com o seu planejamento financeiro, nós da Barbarotti Imóveis preparamos um breve guia conceitual para facilitar a sua decisão entre consórcio ou financiamento. 

Boa leitura!

 

Conceituando o consórcio

O método de aquisição de bens através do consórcio é razoavelmente complexo em medida teórica, mas que demonstra sua simplicidade quando posta em prática.

Essencialmente, o consórcio consiste na aquisição de um imóvel através de um investimento coletivo de pessoas físicas e/ou jurídicas, as quais se unem para realizar o objetivo de aquisição de um imóvel próprio. 

Para fazer isso, cada interessado em investir em uma carta de crédito deve entrar em contato com o(a) administrador(a) do imóvel que deseja adquirir, com este indivíduo passando a integrar um determinado grupo de consorciados com objetivos aquisitivos similares aos seus.

Estabelecido o grupo de investimento, os membros desse grupo serão responsáveis por estabelecer um fundo ou saldo destinado à compra dos bens. Mesmo após a aquisição do imóvel, o consorciado continua contribuindo com o valor da sua cota.

Além disso, é importante lembrar que há uma taxa de admissão que deve ser paga ao administrador responsável pela carta de crédito do imóvel, com o valor dessa taxa podendo variar entre 15% e 20% do valor do imóvel em questão.

Feito tudo isso, todos os meses serão realizados sorteios — e por vezes leilões — que irão contemplar membros do grupo com um imóvel. É garantido que todos os consorciados serão contemplados com a carta de crédito, porém nunca é possível garantir quando a contemplação irá ocorrer.

 

Conceituando o financiamento

O financiamento, por sua vez, pode ser definido como uma espécie de parcelamento regulado por contrato — feito com a imobiliária, construtora e/ou banco — e regido por taxas de juros. Efetivamente, é uma dívida que deve ser quitada dentro de um prazo pré-determinado.

Em contrapartida ao consórcio, o financiamento é mediado diretamente com a instituição bancária do financiador, a qual irá estipular um valor mínimo de entrada do imóvel — que pode vir a custar cerca de 20% do valor total do imóvel.

Há casos em que o banco em si não irá estipular um valor mínimo. Mas não se engane! Uma maior flexibilidade de financiamento geralmente indica que as taxas de juros serão mais altas ao longo do financiamento. Portanto, atenha-se a esse detalhe!

Dada a entrada no imóvel, é necessário agora arcar com as parcelas do financiamento estipuladas no contrato. O número e valor das parcelas irá variar em relação ao imóvel, instituição financeira e também se é feito o uso de algum programa de habitação como o Casa Verde e Amarela.

 

Consórcio ou financiamento: qual o melhor?

É importante que fique claro que cada uma dessas modalidades apresentadas é destinada a um perfil específico de pessoa, que varia especialmente em relação ao tipo de planejamento financeiro que o comprador é capaz de fazer.

Para aqueles que não dominam plenamente a elaboração de um bom planejamento financeiro, o consórcio é uma boa opção, especialmente se não há pressa para aquisição do imóvel e se o comprador não dispõe de fundos suficientes para dar uma entrada em um financiamento.

Em contrapartida, o financiamento é ideal para aqueles que estão dispostos a planejar minuciosamente suas finanças de forma a dar entrada em um imóvel e pagar suas respectivas parcelas. É uma alternativa mais direta e dá acesso praticamente imediato ao imóvel.

Por fim, a decisão entre consórcio ou financiamento será influenciada pelas suas prioridades financeiras e de vida. Se você dispõe de fundos suficientes para arcar com a entrada e os juros que acompanham as parcelas, opte pelo financiamento. 

Caso não tenha pressa para adquirir o seu imóvel e não disponha de recursos monetários suficientes, considere um consórcio como alternativa.

 

Tranquilo entender as diferenças entre consórcio e financiamento, não é mesmo? Se estiver pensando em realizar um financiamento para o seu imóvel, não deixe de conferir o site da Barbarotti Imóveis e encontrar sua casa dos sonhos!